quinta-feira, 29 de outubro de 2009

200 jovens participam da construção do Estatuto da Juventude

Retirado de www.jornalnh.com.br

Evento teve objetivo de orientar as opiniões e sugestões dos estudantes do município.

Novo Hamburgo - Com a finalidade de participar da construção do Estatuto da Juventude, a Coordenadoria de Políticas Públicas para a Juventude (CPJuventude) da Prefeitura de Novo Hamburgo promoveu na manhã desta quinta-feira, 29 de outubro, uma audiência pública.

O evento também serviu para orientar as opiniões e sugestões dos jovens
do Município. Elas serão utilizadas na formação do regimento que está sendo elaborado a nível nacional. O encontro, que reuniu mais de 200 estudantes da Escola Estadual Senador Alberto Pasqualini, além de autoridades municipais e gestores das políticas públicas para a juventude, foi marcado pela democracia e os debates das propostas.

Para ouvir a opinião dos alunos e explicar sobre a criação do estatuto, a relatora do regimento e deputada federal Manuela D’Ávila esteve presente. Ela destacou a importância da contribuição dos jovens durante esse processo. "No momento em que falamos e discutimos sobre políticas públicas para a juventude, estamos pensando em mudar o futuro do País. E nesse sentido, esse estatuto chega, para a implantação de políticas, regidas por lei, que permitem ao jovem seguir um rumo da melhor maneira possível", declarou Manuela.

Durante as discussões, o coordenador da CPJuventude, Roger Correa, entregou formalmente, para a relatora Manuela, as sugestões dos jovens hamburguenses que poderão ser implantadas no estatuto. Entre elas, as principais foram melhorias e mais oportunidades na educação e no trabalho. "Os jovens são as maiores vítimas da precariedade na educação e da falta de oportunidades. Temos que pensar no futuro, e com toda a certeza, essa categoria da sociedade faz parte da construção de um futuro melhor", explicou Correa.

A estudante Denise Negri, 16 anos, que se disponibilizou a ser voluntária e coordenou a abertura oficial do evento, conta que se interessou logo pelo assunto, pensando nas melhorias que podem acontecer. "Eu me interessei porque penso que se cada um ajudar e fizer a sua parte, participando e opinando, a gente pode construir essa lei, com os nossos olhos.

A minha sugestão para a relatora foi sobre a existência de instituições de aprendizagem e de busca de emprego em diversos bairros da cidade, para facilitar o alcance do jovem, mas acho que devem existir outras mudanças também", explica. Depois de receber as sugestões de todo o País, o Estatuto da Juventude será repassado à Comissão Parlamentar Especial, criada para a formação do regimento. O projeto de lei está previsto para ser apresentado na Câmara dos Deputados no dia 11 de novembro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário